“A corrupção está entre as causas que mais concorrem para determinar o subdesenvolvimento e a pobreza, privando os povos de um bem comum fundamental, que é a legalidade”.

É o que se lê na nota do Pontifício Conselho “da Justiça e da Paz” sobre a corrupção, intitulada “A luta contra a corrupção”, divulgada hoje, na Sala de Imprensa da Santa Sé.

No texto, aparece sublinhado que, para a superação da corrupção “é necessária a passagem das sociedades autoritárias para sociedades democráticas, das sociedades fechadas para sociedades abertas, das sociedades verticais para sociedades horizontais”.

Considera-se ainda, que o papel da Igreja consiste em recordar “a importância do respeito pelas fundamentais estruturas naturais e morais das quais o homem foi dotado pelo Criador”, falando com isso, de “ecologia humana”.

“A luta contra a corrupção _ diz ainda a nota _ é um valor, mas também uma necessidade; a corrupção é um mal e tem também um custo; rejeitar a corrupção é um bem, e tem sua vantagem, pois o abandono das práticas corruptas pode gerar desenvolvimento e bem-estar. Que os comportamentos honestos sejam incentivados, portanto, e os desonestos, punidos” _ termina a nota.

A nota acrescenta ainda, que, “no plano internacional, deve-se aumentar a colaboração entre os governos, com acordos sobre procedimentos para o confisco e a devolução de tudo o que foi recebido ilegalmente”.

Fonte: Rádio Vaticano