O pastor Felipe Heiderich foi absolvido pela Justiça do Rio de Janeiro das acusações de pedofilia. (Foto: Instagram/Felipe Heiderich)
O pastor Felipe Heiderich foi absolvido pela Justiça do Rio de Janeiro das acusações de pedofilia. (Foto: Instagram/Felipe Heiderich)

O pastor Felipe Heiderich foi absolvido em segunda instância da acusação abuso infantil, em decisão da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) nesta terça-feira (29).

Desembargadores mantiveram a absolvição em primeira instância e negaram os recursos da defesa de Bianca Toledo, ex-esposa de Heiderich, que atua no processo como assistente de acusação.

O Ministério Público também foi favorável à absolvição “por insuficiência de provas para a condenação”.

Felipe e Bianca foram casados por quase três anos, mas se separaram em 2016, quando o pastor foi acusado de abusar o próprio enteado, na época com 5 anos de idade. O pastor chegou a ficar preso por cinco dias no Complexo de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio.

Na época da prisão, Bianca expôs a acusação de pedofilia nas redes sociais e anunciou a anulação do casamento. Ela também disse ter descoberto que Felipe era homossexual, confessou as acusações, tentou suicídio e foi avaliado em uma clínica psiquiátrica.

Em meio à polêmica, ambos deixaram de liderar o Ministério AME (Aliança Mundial de Evangelização e Ensino).

O caso chegou a ser apresentado no plenário do Senado pelo então senador Magno Malta, que disse na época: “O fato é que a pastora Bianca Toledo, casada com o senhor Felipe Heiderich, ela descobriu que esse pastor, falso pastor, estava abusando de seu filhinho de cinco anos de idade”.

Em abril do ano passado, Heiderich foi absolvido em primeira instância pela 17ª Vara Criminal da Comarca da Capital no Rio de Janeiro. O caso teve um novo julgamento após a defesa de Toledo recorrer da decisão, que voltou a ser favorável a Heiderich.

Nas redes sociais, Heiderich se pronunciou nesta terça sobre a decisão da Justiça: “Acabou de sair a sentença: ganhamos por unanimidade! Não é só mais o juiz e a promotoria, agora são três desembargadores dizendo que eu sou inocente. Tem dúvida da minha inocência? Acha que eu sou pedófilo? Ouse comentar porque agora vou processar”, comentou.

Após a decisão da Justiça, Toledo voltou a reforçar que o ex-marido é culpado pelas acusações. “Terminou agora o julgamento de Felipe Garcia. E foi provado que ele não é inocente”.

Fonte: Guia-me com informações de O Globo