Projeto da prefeitura de Mogi das Cruzes (SP) exigirá aprovação dos moradores antes da construção de uma igreja evangélica.

A bancada evangélica da Câmara de Mogi das Cruzes está preocupada com os projetos em elaboração pela Prefeitura para ordenar o crescimento do Município nos próximos anos. Por isso, o grupo se reuniu na noite de ontem (10) com pastores da Cidade para discutir as exigências, que segundo eles, podem prejudicar os templos existentes e dificultar a construção de novos.

Um dos integrantes da bancada, o vereador Carlos Lucareski (PPS) explica que as atenções estão voltadas às matérias que tratam da Lei de Impacto de Vizinhança e Pólo Gerador de Tráfico. Isso porque a legislação, no primeiro caso, exigirá que antes da construção de uma igreja evangélica em qualquer região da Cidade será necessária a aprovação da maioria das pessoas que moram nas proximidades da área.

A outra determinação prevista, segundo ele, é de que os templos evangélicos tenham de pagar 5% do valor do imóvel aos cofres públicos para compensar o volume de trânsito e de outros impactos que possam causar na vizinhança. “O objetivo é unir toda a bancada de vereadores e de pastores para tentar buscar uma saída a fim de evitar problemas às igrejas”, destacou.

[b]Fonte: O Diário de Mogi[/b]