Hak Ja Han Moon, viúva de Sun Myung Moon, o reverendo Moon
Hak Ja Han Moon, viúva de Sun Myung Moon, o reverendo Moon

O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em seu canal do Youtube, nesta terça-feira, 24, onde alerta sobre a participação de cantores evangélicos no Festival Família 2018.

O evento é promovido pela Igreja da Unificação, de Hak Ja Han Moon, viúva de Sun Myung Moon, mais conhecido como Reverendo Moon, que faleceu em 2012, aos 92 anos.

Malafaia declarou que o evento é uma armadilha montada para enganar evangélicos e pediu “juízo” aos artistas que aceitaram o convite de participar.

“Não caiam nesse engodo, essa história de evento de família. É a segunda vez que o grupo religioso desse falso cristo vem tentando enganar a igreja evangélica brasileira. Fica aqui o meu alerta: não entre nisso, é uma estratégia diabólica para enganar o povo de Deus e para atrair para si com suas doutrinas falsas”, declarou Malafaia.

O Festival Família 2018, organizado pela igreja do reverendo Moon, acontece no dia 4 de agosto no Allianz Parque, na capital paulista.

Entre os nomes confirmados estão Priscilla Alcantara, Aline Barros, Thalles Roberto e André Valadão.

Festival Família 2018

No site do evento diz que, além dos cantores, haverá um “pronunciamento principal da Dra. Hak Ja Han Moon, que falará sobre a paz e a família. Ela é a fundadora da Associação das Mulheres para a Paz Mundial e está vindo ao Brasil para este evento. Haverá também uma cerimônia para a paz com a participação de líderes religiosos.”

Ainda não foram informados os nomes dos líderes religiosos que participarão do evento.

Seita

O reverendo Moon afirmava que era a reencarnação de Jesus e que teria voltado à Terra para terminar sua obra. Moon e sua esposa também afirmaram que restaurariam o erro de Adão e Eva. Malafaia declarou que a denominação é uma seita e a chamou de diabólica.

Seus métodos doutrinários chegaram a ser condenados no Reino Unido na década de 90. Ele foi proibido de entrar no país em 1995.

No Brasil, o reverendo foi alvo de uma investigação judicial pela compra de terras no Mato Grosso do Sul. Ele tentou criar uma colônia sul-coreana na cidade de Jardim.

A Igreja da Unificação não é evangélica e também não é a primeira vez que ela tenta se aproximar dos evangélicos.

Assista ao vídeo abaixo:

Fonte: Pleno News